Por @latino.romano

Leía sobre un concepto algunos días atrás que, aunque no es nada nuevo, para mí si lo fue en el sentido de que por fin encontré el nombre que define esta práctica.

”Hipersexualización de la infancia” es la práctica donde se viste a los niños y niñas con ropas similares a la de los adultos dándoles un aspecto más maduro del que su edad realmente amerita. También incluye decirles elogios que indican que se ven sexys, super guapos, besarlos en la boca y cosas por el estilo. Hablarles de tener novia o novio.

Esta práctica está bastante extendida en nuestros días. Muchos padres envuelven a sus hijos en este tipo de conducta sin tener malas intenciones, por el contrario, desean que sus niños estén a la moda, y por lo visto, los vestidos largos con encajes y los corbatines elegantes no cumplen ya con ese criterio.

El resultado es que, sin advertirlo, se empuja al infante de manera apresurada a la adolescencia, evitando que disfrute realmente de sus primeros años y de los juegos inocentes como debería hacerlo.

Es una forma equivocada donde se les crean conceptos equivocados sobre la sexualidad y pueden generar desviaciones de comportamiento que pudieran afectarle socialmente en el futuro.

Los que conocen el problema sugieren que a los niños se les vista como niños, que no se les hable de temas sexuales como si fueran adultos, sino que adaptemos las explicaciones a sus respectivas edades, que no se les incite a disfrutar de programas de televisión o música que no sean propios para su edad.

Quizá pasará mucho tiempo para que este concepto se tome en serio, pero lo cierto es que sus consecuencias son reales. Debemos proteger a los niños, no lastimarlos; quitarles su infancia tempranamente no es beneficioso para ellos.

Descargo de responsabilidad: Las opiniones que se traslucen en este texto obedecen a la óptica personal del autor quien, como toda persona, tiene derecho a expresarlas respetuosamente.

Gheyzer J. Villegas (@latino.romano) es un escritor hispano de relatos y poemas, miembro del mundialmente reconocido grupo The Alliance para quien escribe estos textos inéditos…

English version

 

By @latino.romano

I was reading about a concept a few days ago that, although it is nothing new, for me it was in the sense that I finally found the name that defines this practice.

“Hypersexualization of childhood” is the practice where children are dressed in clothes similar to those of adults giving them a more mature appearance than their age really deserves. It also includes telling them compliments that they look sexy, super cute, kissing them on the mouth and so on. Talking to them about having a girlfriend or boyfriend.

This practice is quite widespread these days. Many parents involve their children in this type of behavior without having bad intentions, on the contrary, they want their children to be fashionable, and apparently, long dresses with lace and elegant ties do not meet that criterion anymore.

The result is that, without warning, the infant is pushed into adolescence in a hurry, preventing him from really enjoying his early years and innocent play as he should.

This is a misguided way of creating misconceptions about sexuality and can lead to deviant behaviour that may affect them socially in the future.

Those who know the problem suggest that children should be dressed as children, that they should not be talked about sexual matters as if they were adults, but that we should adapt the explanations to their respective ages, that they should not be encouraged to enjoy television programmes or music that are not appropriate for their age.

It may take a long time for this concept to be taken seriously, but the truth is that its consequences are real. We must protect children, not hurt them; taking away their childhood from them early is not in their best interest.

 

Disclaimer: The views expressed in this text are those of the author, who, like everyone else, is entitled to express them respectfully.

Versão em português

 

Por @latino.romano

Há alguns dias atrás estava a ler sobre um conceito que, embora não seja nada de novo, para mim foi no sentido de que finalmente encontrei o nome que define esta prática.

“Hipersexualização da infância” é a prática em que as crianças são vestidas com roupas semelhantes às dos adultos, dando-lhes uma aparência mais madura do que a sua idade realmente merece. Também inclui dizer-lhes elogios que ficam sexy, super giros, beijá-los na boca e assim por diante. Falar com eles sobre ter uma namorada ou um namorado.

Esta prática é bastante difundida nos dias de hoje. Muitos pais envolvem os seus filhos neste tipo de comportamento sem terem más intenções, pelo contrário, querem que os seus filhos estejam na moda, e aparentemente, vestidos compridos com rendas e gravatas elegantes já não satisfazem esse critério.

O resultado é que, sem aviso prévio, a criança é empurrada para a adolescência com pressa, impedindo-a de desfrutar realmente dos seus primeiros anos de vida e de brincar inocentemente como deveria.

Esta é uma forma errada de criar conceitos errados sobre a sexualidade e pode levar a comportamentos desviantes que podem afectá-los socialmente no futuro.

Aqueles que conhecem o problema sugerem que as crianças devem ser vestidas como crianças, que não devem ser faladas sobre questões sexuais como se fossem adultos, mas que devemos adaptar as explicações às suas respectivas idades, que não devem ser encorajadas a desfrutar de programas de televisão ou de música que não sejam apropriados para a sua idade.

Pode levar muito tempo para que este conceito seja levado a sério, mas a verdade é que as suas consequências são reais. Temos de proteger as crianças, não magoá-las; tirar-lhes a infância cedo não é do seu melhor interesse.

 

Aviso: Os pontos de vista expressos neste texto são os do autor, que, como todos os outros, tem o direito de expressá-los respeitosamente.

 

¿Quieres conocer un sitio genial en Instagram? Me encantaría que pudieras seguirlo y mirar las curiosas fotos que hay allí…

 

 

 

Categories:

Comments are closed

“We may not all be on the same page, but we can all read from the same book.” – @thehive
The Alliance on Twitter!
Sorry, that page does not exist.
Archives